Terapia Musical Funciona? Qual a sua Relevância?

A “terapia musical” é uma prática reconhecida e cada vez mais utilizada na medicina moderna para tratar uma variedade de problemas de saúde mental. Ao explorar este campo terapêutico, nos deparamos com um rico universo que se estende além do simples prazer auditivo.

Desde a sua integração na prática clínica, a música tem-se mostrado promissora em pacientes com depressão, ansiedade, e até mesmo transtornos mais graves como o TEPT (Transtorno de Estresse Pós-Traumático).

Mas, o que exatamente é a terapia musical? Como ela funciona? Confira! Mas antes, uma informação importante: Este artigo se propõe a ser informativo e não faz nenhuma indicação médica, terapêutica ou farmacêutica. As referências estão no final do texto para que você possa aprofundar no tema.

Terapia Musical: um breve histórico

A conexão entre música e cura remonta à antiguidade. A música em culturas antigas, era um instrumento importante de conexão do humano ao divino. Além disso, acreditava-se que os sons eram capazes de curar doenças e transtornos mentais. 

Contudo, a terapia musical moderna teve origem no período após as duas Guerras Mundiais. Neste contexto a música foi usada para tratar soldados que retornavam com traumas e lesões físicas. Terapeutas e médicos começaram a notar uma melhoria significativa na disposição e bem-estar emocional dos pacientes através da aplicação da música.

Diferentes métodos e abordagens usados ao longo do tempo

Com o passar do tempo, a terapia musical evoluiu e diferentes abordagens, bem como o aumento do desenvolvimento de métodos para se adequar a diversas necessidades terapêuticas. Entre eles, há dois exemplos que são proeminentes: 

  • a musicoterapia receptiva, onde o paciente escuta a música;
  • a musicoterapia ativa, onde o paciente participa na criação da música.

Em alguns métodos, o uso música clássica para relaxar e acalmar os pacientes. Por outro lado, outros ritmos e batidas servem para estimular. 

A abordagem pode variar consideravelmente, dependendo da condição que está sendo tratada, bem como da idade do paciente e dos objetivos terapêuticos.

O campo da terapia musical continua a crescer, e o desenvolvimento de novas técnicas e abordagens são constantes. Sendo assim, a pesquisa contínua neste domínio tem fortalecido a compreensão da relação entre música, mente e corpo.

A Música como Ferramenta Terapêutica

A música é uma ferramenta multifacetada na terapia, e sua aplicação se estende por diversos contextos terapêuticos. Desta forma, a terapia musical pode ser usada para tratar condições físicas, emocionais e mentais.

Em terapia ocupacional, por outro lado, a música pode ajudar a melhorar a coordenação motora e as habilidades motoras finas. Para pessoas com Alzheimer ou outras formas de demência, a música pode evocar memórias e sentimentos, melhorando a cognição e a comunicação.

Exemplos de métodos e técnicas utilizados na terapia musical

Diversos métodos e técnicas de terapia musical têm sido empregados para atender a diferentes necessidades. Por exemplo:

  • Terapia de Improvisação Musical: O paciente e o terapeuta criam música juntos, permitindo a expressão de sentimentos e emoções.
  • Método Bonny: Uma forma de terapia musical receptiva onde se usa a música clássica para ajudar os pacientes a explorar seus pensamentos e sentimentos internos.
  • Músico de Cuidados Paliativos: Utilizando música suave e reconfortante para ajudar pacientes em cuidados paliativos.

O Impacto da Música na Saúde Mental

Na terapia musical, a música é um meio de reduzir o estresse e a ansiedade, ajudando os indivíduos a entrar em um estado de relaxamento. 

A música também pode ser uma ferramenta eficaz na gestão da depressão, pois pode evocar emoções positivas e promover uma sensação de bem-estar.

Por outro lado, a música pode influenciar as emoções através de diferentes elementos, como melodia, ritmo e letras, e pode ser uma poderosa aliada na regulação do humor. 

Ela é capaz de evocar uma ampla gama de emoções, desde a tranquilidade até a excitação, e pode ser usada para ajudar os pacientes a explorar e processar esses sentimentos.

Pesquisas e Estudos Científicos sobre o Assunto

Diversas pesquisas e estudos científicos corroboram o impacto positivo da música na saúde mental. Estudos mostram que a música pode reduzir significativamente os níveis de cortisol, o hormônio do estresse, levando a uma diminuição da tensão e da ansiedade.

Além disso, pesquisas conduzidas em diferentes configurações, como hospitais e clínicas de reabilitação, têm demonstrado a eficácia da música na melhora da qualidade de vida de pacientes com diversos transtornos mentais.

Diferentes tipos de música podem ter diferentes impactos

O impacto da música na saúde mental também pode variar dependendo do gênero e do tipo de música ouvida. Por exemplo:

  • Música Clássica: Muitas vezes associada à calma e ao relaxamento, pode ser útil na redução do estresse e da ansiedade.
  • Jazz e Blues: Estes estilos podem promover a introspecção e a reflexão, ajudando no processo de autoconhecimento.
  • Música Pop e Rock: Dependendo da letra e da melodia, podem energizar ou até mesmo ajudar na expressão de sentimentos reprimidos.

A terapia musical aproveita essas diversas nuances, personalizando a seleção musical de acordo com as necessidades e preferências do paciente. 

A compreensão dos diferentes impactos que diferentes gêneros e tipos de música podem ter na saúde mental enriquece ainda mais a prática da terapia musica.

A Música no Contexto Clínico

Diferentes métodos de Terapia Musical

A integração da música no tratamento clínico pode ser realizada de várias maneiras, dependendo das necessidades do paciente e dos objetivos do tratamento. Algumas destas formas incluem:

  • Terapia Musical Individual: Utilização da música em uma configuração terapêutica one-on-one para atingir objetivos específicos, como a melhoria da autoexpressão ou a redução da ansiedade.
  • Terapia Musical em Grupo: Uso da música em um ambiente de grupo para promover a socialização e a colaboração.
  • Intervenções Musicais: Utilização de música durante procedimentos médicos para reduzir a dor ou o estresse, como durante a quimioterapia ou a fisioterapia.
  • Programas de Bem-Estar Musical: Oferta de programas de bem-estar musical em ambientes de saúde, como hospitais ou lares de idosos, para melhorar a qualidade de vida geral.

Benefícios e desafios da Terapia Musical

Benefícios

  • Acessibilidade: A música é uma forma de terapia acessível e adaptável para atender a uma ampla gama de necessidades e preferências.
  • Engajamento do Paciente: A música pode ser uma forma atraente de terapia que encoraja a participação ativa do paciente no tratamento.
  • Versatilidade: A música pode ser usada em combinação com outras formas de tratamento, como a terapia da fala ou a fisioterapia, para uma abordagem multidisciplinar.

Desafios

  • Treinamento adequado: A integração eficaz da música na prática clínica exige treinamento especializado para garantir o uso de maneira terapêutica.
  • Avaliação de Necessidades Individuais: Determinar a abordagem musical adequada para cada paciente pode ser complexo e exige uma compreensão profunda das necessidades e dos objetivos individuais.
  • Aceitação da Comunidade Médica: Embora a terapia musical esteja ganhando reconhecimento, ainda pode haver hesitação em integrá-la em alguns ambientes clínicos tradicionais.

A Importância do Especialista em Terapia Musical

Em resumo, a música no contexto clínico oferece uma abordagem valiosa e multifacetada para o tratamento, com potencial para melhorar a saúde mental e o bem-estar de maneira significativa. 

No entanto, sua implementação eficaz requer consideração cuidadosa das necessidades individuais, treinamento adequado e colaboração dentro da equipe de cuidados de saúde. 

Por fim, o mais importante é que qualquer acompanhamento terapêutico seja realizado com especialista credenciado. Não recomendamos nenhum tipo de tratamento, muito menos recomendamos que sejam feitos de modo autônomo, ou seja, por conta própria.

Referências Bibliográficas

AMERICAN MUSIC THERAPY ASSOCIATION. History of Music Therapy. Disponível em: https://www.musictherapy.org/about/history/. Acesso em: 02 ago. 2023.

BRITANNICA. Music therapy | Mental Health, Stress Relief & Well-Being. Disponível em: https://www.britannica.com/topic/music-therapy. Acesso em: 02 ago. 2023.

WIKIPEDIA. Music therapy. Disponível em: https://en.wikipedia.org/wiki/Music_therapy. Acesso em: 02 ago. 2023.

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.